terça-feira, 2 de outubro de 2012

A volta de uma polêmica

 Olá a todos. Eu sei que eu prometi que eu nunca mais iria abordar tal assunto, mas pelo visto certas pessoas ainda não entenderam direito como isso funciona direito então eu vou explicar novamente:

 NÃO EXISTE UMA RELAÇÃO DIRETA COMPROVADA ENTRE VIDEOGAMES E PESSOAS/ATOS VIOLENTAS(OS)!

 É simples. Não importa o que a televisão diga, afinal, devemos ressaltar, que a rede Record de televisão é a inimiga número 1 dos jogos eletrônicos. Então qualquer matéria deles provavelmente vai pender para um lado mais sensacionalista e acusar o videogame, o inimigo número um da televisão. A maioria das pessoas sabem que (com a futura exceção do Wii U) não se pode jogar videogame e assistir televisão ao mesmo tempo, assim as redes de televisão acabam ficando sem audiência pelas horas que os jovens resolvem se entreter em seus aparelhos eletrônicos.



 Porém, eu acredito que muitas pessoas vão desvalorizar o que este simples blogueiro vos escreve, afinal eu sou apenas mais um jogador de videogame revoltado, certo? Errado, na verdade. Mas toda a pessoa que abre a boca para falar a sua opinião nos dias atuais vira, automaticamente, um revoltado. Então, já que, provavelmente, o que eu falo não tem um "peso" dentro do mundo, eu vou trazer textos e vídeos que quem tem.


 Guilherme Gamer é, se não o maior, o mais famoso jornalista de jogos do nosso Brasil. Apresentador da rede de televisão PlayTV e dono do programa Gamer Point no YouTube. Trazendo sempre informações atualizadas de jogos, ele é a principal referência dos dias atuais quando se quer falar de notícias sobre games.


 Caso o Guilherme Gamer não seja o bastante, também há o vlogueiro Denis Lee. Famoso por seu tumblr, ele resolveu ir para o YouTube fazer vídeos um pouco mais didáticos sobre assuntos do cotidiano. Infelizmente ele (assim como o Pablo Peixoto do Qu4tro Coisas) é um rapaz que passa um conteúdo excelente as pessoas que o assistem, porém não tem lá muitas visualizações. Nesse vídeo ele não faz diretamente a Record, porém traz bem mais estatísticas e fatos para poder defender os jogos eletrônicos.

 Agora caso você não confie em vlogueiro do YouTube, não tem problema, eu tenho outras fontes para que você possa analisar. A revista Super Interessante (uma das minhas prediletas, diga-se de passagem) sempre produz boas matérias como manda o bom e velho jornalismo. Suas notícias sempre são bem trabalhadas e quando são matérias especiais, são realmente especiais.

 Primeiramente vou mostrar a vocês um artigo de Haim Grunspun publicado na revista em 2001, quando o assunto estava um pouco "frio", por assim se dizer. Um artigo de um psiquiatra que é avô e acompanha o videogame desde seu início no Atari e Odyssey. Eu não vou falar mais nada e vou deixar que ele fale o resto. Você poderá ler o artigo acessando este link.

 Agora caso você ainda não se convenceu (se isso realmente aconteceu então você é uma pessoa chata pra caralho, em?) temos aqui mais um artigo onde vários especialistas na área da psicanálise fazem uma análise de vários psicopatas e os motivos que fazem essas pessoas matarem. Uma coisa interessante é que na reportagem da Record, eles lembram do rapaz que entrou em um cinema em um shopping em São Paulo e disparou uma submetralhadora na platéia, matando três pessoas e deixando outras cinco feridas, e, de acordo com a reportagem deles, o rapaz estava sendo influenciado pelo jogo Mortal Kombat. No entanto, vamos ver o perfil que foi traçado sobre este rapaz no artigo que eu vou passar para vocês.

 MATEUS DA COSTA MEIRA

CRIME - Em 1999, disparou uma submetralhadora contra a platéia de um cinema em São Paulo. Três pessoas morreram e cinco ficaram feridas.
DIAGNÓSTICO - Surto causado por drogas. Mateus tinha consciência do que fazia e não foi considerado psicopata. Tinha problemas de personalidade e usava cocaína no momento do crime.

 Acho que provei meu ponto. Você pode acessar o artigo nesse link.

 Caso você achou o assunto interessante, sugiro que você adquira o livro Brincando de Matar Monstros de Gerard Jones e publicado pela Conrad Editora. O livro fala sobre sobre os benefícios que a fantasia, os videogames e o faz de conta traz as crianças, fazendo uma ótima ligação entre uma boa infância e tudo isso. Fica essa a sugestão de leitura para você que gostaria de se entrosar mais no assunto.

 Novamente eu espero não ter que falar sobre isso no blog mais uma vez. É um assunto que me incomoda bastante, pois são por causas de matérias como a da Record e de pessoas que acreditam em tudo o que veem na televisão é que o videogame, quase sempre, sofre esse preconceito gratuito.

 Até a próxima postagem! Se cuidem e bons jogos!

@Kirilko


Nenhum comentário: