terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Polêmica rubro-negra

Olá povo, como estão?

A seleção brasileira conquistou o título do Sul-Americano Sub-20 depois de um histórico 6 a 0 no Uruguai! Confira aqui os gols, que, por sinal, merecem ser revistos por aqueles que acompanharam o jogo e assistiram ao show da mulecada, numa noite inspirada do camisa 10, Lucas, jogador do SPFW São Paulo. Parabéns meninada! É bom ver um pessoal tão jovem e talentoso com esse amor pelas cores que representam, como eles mostraram nessa final :)

Mudando de assunto, uma richinha polêmica de 20 anos voltou aos debates essa semana, quando foi entregue ao SPFC (juro que escrevi com W na primeira vez HAHAHA) a Taça das Bolinhas, em reconhecimento como o primeiro clube a ser “pentacampeão brasileiro”. Porém, para os flamenguistas, o primeiro clube a ser penta eram eles, se levar em consideração o campeonato brasileiro de 1987. Mas esse maledeto campeonato teve várias confusões, porque os 12 clubes de maior prestígio na época decidiram fazer um torneio por conta própria, sem necessariamente ser autenticado pela “gloriosa” CBF. A história é longa e complicada, então vou postar um texto que achei no site Meu Sport , que conta como tudo aconteceu de forma bem clara:

Em 1986 o campeonato BRASILEIRO foi decidido entre São Paulo e Guarani, com o SP sagrando-se campeão.
Naquele tempo, o campeonato era disputado por muitos times e os clubes dos grandes centros, os maiores em termos de títulos e torcida, resolveram se unir e criar um campeonato exclusivo com eles, os doze maiores do Brasil: São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Santos, Grêmio, Internacional, Flamengo, Vasco da Gama, Fluminense, Botafogo, Cruzeiro e Atlético Mineiro. O Bahia, que era dirigido por um homem com muita força no futebol, o Paulo Maracajá, e sempre atraía grandes públicos para a Fonte Nova, brigou muito, fez pressão e conseguiu sua inclusão, nascendo assim o famigerado Clube dos Treze.
Eles procuraram a Rede Globo, que gostou da idéia e conseguiram com a Coca-cola o patrocínio do torneio, com a Coca colocando sua marca na camisa de todos os times, nos prismas principais dos estádios e nas transmissões da Rede Globo.
A CBF foi contrária pelo de que apesar dos clubes se acharem os maiores do Brasil, e alguns realmente eram, no campo e na bola jogada no ano anterior, muitos ficaram mal classificados; o Vasco, por exemplo, tinha caido pra 2ª divisão, então a CBF fez ver ao Clube dos 13 que qualquer clube que se achasse prejudicado, entraria com ação judicial e ganharia.
Então o "Clube dos 13" teve uma "brilhante" idéia: um campeonato com todos os 32 clubes da primeira divisão, divididos em dois módulos com 16 clubes cada.
O verde, com os clubes pertencentes a ele, os dois clubes não participantes do "Clube dos 13" melhores classificados no ranking da CBF (Goiás e Curitiba) e o Santa Cruz, que entrou no bolo por causa da pressão política exercida por Marco Maciel e pela amizade pessoal que o presidente do santa cruz tinha com Marcio Braga, presidente do Flamengo e primeiro presidente do "Clube dos 13"; e o módulo amarelo, composto pelos demais clubes que tinha direito adquirido em campo de jogar a Primeira Divisão do futebol Brasileiro.

Cada módulo teria sua disputa, jogando todos contra todos em turno e returno. No final, o 1º e o 2º de cada módulo fariam um quadrangular e decidiriam o campeão e o vice do Campeonato Brasileiro.

A segunda divisão também seguiu o mesmo critério, divididos em módulos azul e branco(as cores dadas aos módulos foram em homenagem a bandeira do Brasil).

Sendo assim, deu-se início ao Campeonato Brasileiro de 1987. Aí veio a grande SAFADEZA, típica atitude de abuso de poder das elites que acham que tudo podem em nosso país.

Quando já estava perto da definição dos representantes de cada módulo, para a disputa final, o "Clube dos 13" convocou uma reunião do Conselho Arbitral e propuseram uma mudança no regulamento, não havendo mais a realização do quadrangular final e que o campeão e o vice do módulo verde seriam decretados, automaticamente, campeão e vice do brasileiro.
Em votação, eles obtiveram a maioria dos votos a favor da mudança, porque além de contar da unanimidade dos votos dos membros do módulo verde, alguns capachos do módulo amarelo também votaram a favor, como o Náutico, que objetivou claramente prejudicar o inimigo local, o SPORT, melhor time do Módulo Amarelo.
Mas aí veio o grande erro do "Clube dos 13", que não era comandado por pessoas tão inteligentes quanto os mesmos se achavam.
O Regulamento do Conselho arbitral previa que para se aprovar o regulamento de uma competição, logicamente antes do início dela, precisava-se da maioria dos votos a favor, PORÉM, DEPOIS DE INICIADA A COMPETIÇÃO, O REGULAMENTO SÓ PODERIA SER MUDADO POR UNANIMIDADE DOS VOTOS do Conselho Arbitral e não apenas pela maioria dos votos.
Esta norma existia justamente para evitar que os times com maior poder pudessem se unir e usar este poder em favor de si mesmos durante uma competição.
Este erro foi decisivo para que o Flamengo e seu "inteligente" presidente perdesse, no futuro, todas as tentativas jurídicas de conseguir o título de campeão brasileiro de 1987.
A CBF então fez o justo e o que estava conforme a Lei e não aceitou a falcatrua maquinada pelos mafiosos que na época estavam a frente do "Clube dos 13", confirmando a realização do quadrangular final.
As primeira e segunda rodadas foram marcadas, mas Flamengo e Inter não apareceram e a CBF acabou marcando dois jogos entre SPORT e Guarani, sendo o primeiro em Campinas, com empate de 1X1 e o segundo na ILHA, 1X0 para o SPORT, com gol de Marco Antônio.
O fato da Globo não ter transmitido os jogos deu-se em virtude do boicote que os clubes integrantes do Módulo Amarelo fizeram à Rede Globo e à Coca-cola, que juntamente com o "Clube dos 13" se achavam donas do futebol brasileiro e só patrocinaram os clubes do Módulo Verde.
Homero Lacerda, presidente do SPORT Recife na época, proibiu a entrada de profissionais da Rede Globo na Ilha e fechou a transmissão do jogo pelo SBT, eterna rival da Rede Globo. O mesmo fez o presidente do Guarani.
O Flamengo tentou de todas as formas anular a decisão da CBF e perdeu em todas as instãncias judiciais, no âmbito desportivo e também da Justiça Comum, sendo inclusive ameaçado de punição pela FIFA, que também reconhece o título de 1987 como sendo do Sport.
Por fim, SPORT e Guarani foram homologados campeão e vice-campeão brasileiros de 1987, tendo inclusive representado o Brasil na disputa da Taça Libertadores da América de 1988.
Como se pode ver, o SPORT derrotou a todos que se dignaram a enfrentá-lo nos gramados (como o vice-campeão brasileiro do ano anterior: O Guarani) e nos tribunais (os que não tiveram decência de enfrentá-lo nos gramados, como Flamengo e Internacional).
Esta história marca a luta de um time nordestino que enfrentou sozinho o poder dos maiores times do Brasil, que unidos com a Rede Globo e a multinacional Coca-Cola, acharam que poderiam fazer prevalecer sua vontade sobre o que era justo e dentro da Lei.

Claro que o site conta a história numa ótica parcial, beneficiando o Ispóti Sport Club Recife.
E vocês, o que acham dessa história toda? Comentem!
Beijundas

Ray ;D

Nenhum comentário: