terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Poemaa \o/

Antes de começar esse post soh queria pedir desculpas por nao ter vindo postar no sábado "/
Foi um dia meio conturbado para mim, e ai acabei esquecendo de postar
Mil desculpas
Agora, vamos ao poema ^^
Vi esse poema na minha 1ª aula de literatura desse ano =)
Eh realmente muito bom, espero que vcs gostem \o
BjOOs e abraços... ateh amanha

Isso de mim que anseia despedida
(Para perpetuar o que está sendo)
Não tem nome de amor. Nem é celeste
Ou terreno. Isso de mim é marulhoso
E tenro. Dançarino também. Isso de mim
É novo. Como quem come o que nada contém.
A impossível oquidão de um ovo.
Como se um tigre
Reversivo,
Veemente de seu avesso
Cantasse mansamente.
Não tem nome de amor. Nem se parece a mim.
Como pode ser isso?
Ser tenro, marulhoso
Dançarino e novo, ter nome de ninguém 
E preferir ausência e desconforto
Para guardar no eterno o coração do outro.

 
Hilda Hilst - Cantares do Sem Nome e de Partidas - Canto III

Um comentário:

Bruh disse...

Poema mto legal Sweet ^^
Beijos s2